Equippe Serviços

Uma visão moderna de atendimento e qualidade em serviços terceirizados em vários segmentos

Como fazer limpeza de carpetes?


“É difícil criar um espaço acolhedor e confortável com um tapete sujo, manchado e sujo”

Independentemente do ramo de atuação em que você está, a area do escritório e loja tem alto tráfego. Devido à natureza do mesmo, é inevitável que seus pisos fiquem manchados, danificados e sujos. Não importa o que você tente fazer para evitá-lo, a sujeira sempre faz o seu caminho para o escritório/loja e para o carpete. Restaurando sua aparência e reparando os danos causados, a limpeza do carpete é essencial, não só para melhorar a aparência do seu espaço comercial, mas para garantir que ele dure o maior tempo possível.

Então, com que frequência você precisa limpar seus tapetes? Não há uma resposta para esta questão, as empresas especializadas irão aconselhá-lo sobre a limpeza de rotina, baseada na sua situação específica.

Quantas vezes você precisa limpar seu tapete vai depender de algumas coisas, tais como:

  • Que tipo de carpete você tem
  • Qual o tráfego de pessoas
  • Qual é o tipo de manutenção e limpeza que você faz
  • O que está causando as manchas

Áreas de tráfego intenso = 10 ou mais vezes por ano
Áreas de tráfego médio = Quatro a seis vezes por ano
Áreas de tráfego baixo = Duas vezes por ano

REGRA BÁSICA DE LIMPEZA DE CARPETE

De um modo geral, para melhorar a aparência do seu carpete e evitar tantas manchas permanentes quanto possível, sugerimos que você faça com que seus carpetes sejam limpos profissionalmente pelo menos quatro vezes por ano. Agora, se você tem carpete na sua sala de espera, entrada principal ou corredores, você vai querer, obviamente, fazer isso com mais frequência. Para as áreas que tem pouco ou nenhum tráfego, você poderá fazer apenas limpezas semestrais, devido ao fato de que o carpete não fica sujo.

“Lembre-se o melhor cuidado que você toma do seu tapete, quanto mais ele vai durar e com bom aspecto!”

Mitos de Limpeza de Carpetes

A Limpeza profissional regular pode manter seus tapetes limpo e fresco por muitos anos. Apesar disso, há muitas preocupações e equívocos sobre os problemas potenciais que a limpeza do tapete pode causar.

Abaixo vamos quebrar alguns mitos e dar-lhe os fatos importantes sobre a limpeza do tapete.

  • Meus carpetes levarão dias para secar após a limpeza profissional?

Não, eles não vão. (A menos que sejam limpos usando excesso de umidade ou com uma máquina sem sucção suficiente para remover umidade suficiente) .

Uma empresa especializada em limpeza de carpetes deve usar máquinas que não molhem demais os carpetes e que elas fiquem secas em apenas algumas horas.

“Este é um mito que morre muito porque ainda existem empresas que operam com equipamentos elétricos e processos de limpeza de má qualidade.”

  • Os meus tapetes vão voltar a ficar mais ralos depois de limpos?

Este é outro equívoco que frequentemente ouvimos.

Mas se um carpete for limpo usando o equipamento, produtos químicos e processos corretos, isso definitivamente não acontecerá.

Um carpete só irá danificar rapidamente se os produtos químicos de limpeza usados ​​não forem apropriados para as fibras e manchas e se eles não tiverem sido totalmente extraídos do carpete, deixando para trás resíduos pegajosos que atraem e abrigam a sujeira.

“Mais uma vez, o resultado final depende de uma empresa conscienciosa, usando a maquinaria correta e soluções de limpeza adequadas.

  • Se eu tiver meus tapetes limpos com muita frequência, danificarei ou “desgastarei” meus tapetes?

O equívoco de que o processo de limpeza do carpete pode desgastar os carpetes simplesmente não é verdade.

“A limpeza profissional do carpete remove os solos arenosos e a areia que causam

danos às fibras e prolongam a vida útil dos tapetes e tapetes.”

Não deixe um carpete sujo causar o impacto errado em seus clientes. Usando os serviços de limpeza de carpetes de empresas especializadas, você não apenas manterá seus carpetes impecáveis, como também eliminará a poeira, a sujeira e os alérgenos que contribuem e agravam as alergias e problemas respiratórios de seus funcionários, aumentando os dias de folga e diminuindo a produtividade geral.

A EQUIPPE SERVIÇOS e uma empresa especializada em limpeza de carpete e utilizamos apenas solventes e materiais de limpeza compatível com o material de cada carpete, evitamos o uso de substâncias químicas nocivas e toxinas perigosas. Também empregamos o uso de equipamentos e maquinário eficientes.

Entre em contato conosco e solicita uma cotação de limpeza de carpete

(11) – 3901-0453 – email: comercial@equippe.com.br – www.equippe.com.br


Categorias: Artigos do Setor

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

A IMPORTÂNCIA DE UMA RECEPÇÃO LIMPA


A IMPORTANCIA DE UMA RECEPÇÃO LIMPA

Entrada & Recepção – Fazendo uma boa primeira impressão.

Ao longo dos anos, muitos estudos foram realizados sobre os efeitos das primeiras impressões e, na maioria dos casos, estes descobriram que apenas 12 segundos são necessários para que as pessoas formem opiniões duradouras. Se o seu local de trabalho se apresentar mal, você corre o risco de afastar potenciais clientes, potenciais novos funcionários e oportunidades comerciais.

Quaisquer opiniões formadas em relação à sua empresa são geralmente determinadas pela apresentação das suas instalações e pela qualidade do seu serviço. Felizmente, existem algumas coisas que você pode fazer como gerente de escritório para melhorar suas chances de criar uma boa primeira impressão.

Estabelecer uma entrada atraente

A entrada principal do seu edifício de escritórios deve parecer convidativa, a fim de estabelecer uma mentalidade positiva nos indivíduos e / ou grupos que entram pela porta da frente. Se você tem algum paisagismo ou vasos de plantas nas proximidades, eles devem ser bem cuidados e quaisquer folhas caídas devem ser tratadas imediatamente. Entradas devem ser livre de mofo, sujeira e pó .

Implementar Sinalização Apropriada

Os clientes entrando em seu escritório pela primeira vez, a expectativa é que eles sejam tratados como seu convidado. Certifique-se de que eles cheguem exatamente onde precisam estar com facilidade, exibindo claramente o nome da sua empresa em qualquer área onde possa ser necessário.

Instale sinalização em todo o seu prédio em qualquer área que um cliente precise visitar, como banheiros, salas de reuniões e saídas de emergência, etc. Embora isso tenha menos a ver com limpeza e mais a ver com a criação de um ambiente bem organizado, ainda é um item importante para considerar.

Crie uma área de recepção espaçosa

Geralmente, seus clientes passarão a maior parte do tempo na recepção antes de fazer a irem para o seu escritório particular ou sala de reuniões e, como tal, você precisará fazer todos os esforços para criar uma área de espera convidativa.

Não lhes dê a oportunidade de examinar seu local de trabalho e se você contratou um serviço de limpeza profissional, certifique-se de que esta área está intacta.

Melhore a apresentação geral

Isso se relaciona diretamente com o quão limpas são as suas instalações e como elas parecem à primeira vista. Observe que, embora o efeito que você deve visar seja o de estética, você não deve renunciar, certificando-se de que o escritório esteja higienicamente limpo.

Os banheiros devem ser mantidos em ordem meticulosa em todos os momentos e as estações de trabalho dos funcionários e áreas comuns devem permanecer livres de desordem. Além disso, todas as superfícies do piso (carpete ou não) devem ser limpas regularmente.

O que eles dizem sobre uma boa primeira impressão é verdade – você realmente só tem uma. Crie a impressão certa e aproveite para ver nossa lista completa de serviços no site da Equippe Serviços!


Categorias: Artigos do Setor

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Lei obriga manutenção de ar condicionado


Segundo informou a Agência Senado, todos os edifícios, públicos ou privados, serão obrigados a fazer a manutenção de seus sistemas de ar condicionado. É o que determina a Lei 13.589/2018, sancionada dia 4 de janeiro de 2018 e publicada dia 5 de janeiro no Diário Oficial da União.
A lei já entrou em vigor para novas instalações de ar condicionado. Para sistemas já instalados, o prazo para cumprimento dos requisitos é de 180 dias depois da regulamentação da lei, a ser feita posteriormente.
Os edifícios terão que fazer a manutenção dos sistemas de climatização a partir de um Plano de Manutenção, Operação e Controle, com o objetivo de prevenir ou minimizar riscos à saúde dos ocupantes. O plano deverá obedecer a parâmetros regulamentados pela Resolução 9/2003 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e posteriores alterações, assim como às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
O objetivo é garantir a boa qualidade do ar interior, considerando padrões de temperatura, umidade, velocidade, taxa de renovação e grau de pureza.
A lei será aplicada a todos os edifícios, mas os ambientes climatizados de uso restrito – laboratórios e hospitais, por exemplo – deverão obedecer a regulamentos específicos.
A matéria tem origem no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 70/2012, aprovado no Senado em agosto de 2013.
Veto
O Ministério da Justiça e Segurança Pública recomendou o veto ao trecho do projeto que obrigava a responsabilidade técnica do Plano de Manutenção, Operação e Controle a engenheiro mecânico. De acordo com o presidente da República, Michel Temer, na razão para o veto (VET 2/2018) , tal regra cria reserva de mercado sem necessidade.

Fonte: Agência Senado


Categorias: Artigos do Setor

Empregadores devem ficar atentos às obrigações periódicas de 2018


Além das obrigações mensais relativas às legislações trabalhista e previdenciária, FGTS e PIS-Folha de Pagamento, conheça algumas obrigações a serem cumpridas entre os meses de janeiro e dezembro do ano de 2018.

Obrigações periódicas são obrigações que, por determinação legal, devem de ser cumpridas em meses específicos do ano. Confira mês a mês os principais destaques:

JANEIRO

  1. a) CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA – RECOLHIMENTO TRIMESTRAL (trimestre civil compreendendo os meses de outubro, novembro e dezembro) – os contribuintes individuais, quando for o caso, e os segurados facultativos podem optar por efetuar o recolhimento trimestral da contribuição previdenciária. A opção é somente para os recolhimentos cujos salários de contribuição sejam iguais ao valor de 1 salário-mínimo.

A contribuição trimestral deve ser recolhida até o dia 15 do mês seguinte ao do encerramento de cada trimestre civil, prorrogando-se para o 1º dia útil subsequente, quando não houver expediente bancário no dia 15;

  1. b) CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL – os empregadores que optarem pelo recolhimento da contribuição sindical deverão fazê-lo até o último dia do mês de janeiro de cada ano. Para calcular o valor da contribuição a recolher, veja o simulador disponível no Portal COAD;
  2. c) DIFERENÇA DO 13º SALÁRIO – as diferenças porventura apuradas quando do pagamento do 13º Salário terão de ser pagas aos respectivos empregados ou ressarcidas ao empregador, quando for o caso, até o dia 10 de janeiro de cada ano;
  3. d) ESOCIAL – as empresas com faturamento anual acima de R$ 78 milhões em 2016 (1º Grupo) devem transmitir, a partir das 8 horas do dia 8-1-2018, as informações constantes dos eventos S-1000 a S-1080 (Cadastro do Empregador e Eventos de Tabela) do leiaute do eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas e atualizá-las desde então;
  4. e) SEFIP DO 13º SALÁRIO – as empresas devem apresentar Sefip distintas para os fatos geradores referentes ao mês de dezembro (competência 12) e para os fatos geradores referentes ao 13º Salário (competência 13).

A Sefip da competência 13 deve ser utilizada exclusivamente para prestar informações à Previdência Social, relativas a fatos geradores das contribuições relacionadas ao 13º Salário, não sendo devido o recolhimento do FGTS.

O recolhimento do FGTS sobre a 2ª parcela do 13º Salário deve ser feito na GRF da competência 12 e pago até o dia 7 de janeiro.

A Sefip da competência 13 (somente com informações à Previdência Social) deve ser apresentada até o dia 31 de janeiro do ano seguinte ao da referida competência.

As empresas em geral deverão, ainda, observar no mês de janeiro o seguinte:

– 13º SALÁRIO NAS FÉRIAS (requerimento do empregado) – o empregador está obrigado ao pagamento da 1ª parcela do 13º Salário juntamente com a remuneração das férias do empregado, sempre que este entregar requerimento, neste sentido, durante o mês de janeiro do ano correspondente.

FEVEREIRO

  1. a) COMPROVANTE DE RENDIMENTOS PAGOS E DE IMPOSTO SOBRE A RENDA RETIDO NA FONTE – a pessoa física ou jurídica que pagar rendimentos com retenção na fonte deve fornecer à pessoa física beneficiária o Comprovante de Rendimentos até o último dia útil do mês de fevereiro do ano subsequente ao que se referirem os rendimentos informados, ou por ocasião da rescisão do contrato de trabalho, se ocorrer antes da referida data;
  2. b) CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DOS AUTÔNOMOS E PROFISSIONAIS LIBERAIS – os profissionais liberais e autônomos não organizados em firmas, optantes pela contribuição, deverão recolher o imposto sindical anual até o último dia do mês de fevereiro de cada ano. Veja como calcular a contribuição sindical em atraso dos profissionais liberais em simulador disponível no Portal.

MARÇO

  1. a) CONTRIBUIÇÃO SINDICAL ANUAL DOS EMPREGADOS – DESCONTO – os empregadores são obrigados a descontar da folha de pagamento relativa ao mês de março de cada ano a contribuição sindical dos empregados que autorizaram prévia e expressamente o seu recolhimento aos respectivos sindicatos;
  2. b) ESOCIAL – as empresas com faturamento anual acima de R$ 78 milhões em 2016 (1º Grupo) devem transmitir, a partir das 8 horas do dia 1-3-2018, as informações constantes dos eventos S-2190 a S-2400 (dados relativos aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas – Eventos não Periódicos) do leiaute do eSocial;
  3. c) PROGRAMA BIENAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO – as empresas que optarem pela manutenção de serviço único de engenharia e medicina do trabalho ficam obrigadas a elaborar e submeter à aprovação da Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho, até o dia 30 de março, um Programa Bienal de segurança e medicina do trabalho a ser desenvolvido;
  4. d) RAIS – RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS – encerra-se em março o prazo para entrega da Rais, para todas os estabelecimentos/entidades, independentemente do número de empregados e forma de declaração, inclusive a Rais retificação. As declarações deverão ser fornecidas por meio da internet, mediante utilização do programa gerador de arquivos da Rais – GDRAIS2017, obtido nos endereços eletrônicos: http://trabalho.gov.br/index.php/rais e http://www .rais. gov.br.

ABRIL

  1. a) CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA – RECOLHIMENTO TRIMESTRAL (trimestre civil compreendendo os meses de janeiro, fevereiro e março) – os contribuintes individuais, quando for o caso, e os segurados facultativos podem optar por efetuar o recolhimento trimestral da contribuição previdenciária. A opção é somente para os recolhimentos cujos salários de contribuição sejam iguais ao valor de 1 salário-mínimo.

A contribuição trimestral deve ser recolhida até o dia 15 do mês seguinte ao do encerramento de cada trimestre civil, prorrogando-se para o 1º dia útil subsequente, quando não houver expediente bancário no dia 15;

  1. b) CONTRIBUIÇÃO SINDICAL ANUAL DOS EMPREGADOS – RECOLHIMENTO – a contribuição sindical anual, descontada dos empregados no mês de março, observada a exigência de autorização prévia e expressa, terá de ser recolhida até o último dia do mês de abril, por intermédio da rede bancária arrecadadora, bem como em todos os canais da Caixa Econômica Federal (agências, unidades lotéricas, correspondentes bancários e postos de autoatendimento);
  2. c) RELATÓRIO E PLANO DE AÇÃO DAS ENTIDADES E ORGANIZAÇÕES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL – toda entidade e/ou organização de assistência social, que seja certificada e inscrita no CMAS – Conselho Municipal de Assistência Social ou no CAS/DF – Conselho de Assistência Social do Distrito Federal, está obrigada a apresentar até o dia 30 de abril de cada ano ao respectivo Conselho, Plano de Ação do ano corrente e Relatório de atividades assistenciais realizadas no ano anterior, destacando as informações sobre o público atendido e os recursos utilizados.

MAIO

  1. a) ESOCIAL – as empresas com faturamento anual acima de R$ 78 milhões em 2016 (1º Grupo) devem transmitir, a partir das 8 horas do dia 1-5-2018, as informações constantes dos eventos S-1200 a S-1300 (Eventos Periódicos compostos por informações da folha de pagamento) do leiaute do eSocial, referentes aos fatos ocorridos a partir dessa data;
  2. b) SALÁRIO-FAMÍLIA – para manutenção do pagamento do benefício do salário-família, o empregador deverá solicitar de seus empregados, no mês de maio, o comprovante de frequência à escola, relativo aos filhos e equiparados a partir dos 7 anos completos de idade.

JUNHO

Neste mês, não há obrigação periódica a ser cumprida pelas empresas.

JULHO

  1. a) CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA – RECOLHIMENTO TRIMESTRAL (trimestre civil compreendendo os meses de abril, maio e junho) – os contribuintes individuais, quando for o caso, e os segurados facultativos podem optar por efetuar o recolhimento trimestral da contribuição previdenciária. A opção é somente para os recolhimentos cujos salários de contribuição sejam iguais ao valor de 1 salário-mínimo.

A contribuição trimestral deve ser recolhida até o dia 15 do mês seguinte ao do encerramento de cada trimestre civil, prorrogando-se para o 1º dia útil subsequente, quando não houver expediente bancário no dia 15;

  1. b) ESOCIAL – os demais empregadores e contribuintes com faturamento anual menor ou igual a R$ 78 milhões em 2016 (2º Grupo) devem transmitir, a partir das 8 horas do dia 16-7-2018, as informações constantes dos eventos S-1000 a S-1080 (Cadastro do Empregador e Eventos de Tabela) do leiaute do eSocial e atualizá-las desde então;
  2. c) SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO – ENVIO DE LISTAGEM DE TRABALHADORES EXPOSTOS E EX-EXPOSTOS AO AMIANTO/ASBESTOS – todas as empresas, que desenvolvem ou desenvolveram atividades de extração, industrialização, utilização, manipulação, comercialização, transporte e destinação final de resíduos, devem encaminhar, anualmente, ao órgão responsável pela gestão do SUS – Sistema Único de Saúde, em nível municipal ou, na sua ausência, ao órgão regional, listagem de trabalhadores expostos e ex-expostos ao asbesto/amianto. A listagem e as informações referentes aos trabalhadores expostos e ex-expostos ao asbesto/amianto em atividade, independentemente de notificação por parte do SUS, deverão ser encaminhadas, preferencialmente, por meio eletrônico, impreterivelmente, até o primeiro dia útil do mês de julho, devidamente protocoladas na SMS – Secretaria Municipal de Saúde ou no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador ou no Serviço de Vigilância à Saúde do Trabalhador, da Secretaria Estadual de Saúde, ou, na inexistência dos órgãos citados, no Serviço de Vigilância à Saúde do SUS, onde a empresa está situada.

AGOSTO

No mês de agosto de 2018, não há obrigação periódica a ser cumprida.

SETEMBRO

– ESOCIAL – os demais empregadores e contribuintes com faturamento anual menor ou igual a R$ 78 milhões em 2016 (2º Grupo) devem transmitir, a partir das 8 horas do dia 1-9-2018, as informações constantes dos eventos S-2190 a S-2400 (dados relativos aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas – Eventos não Periódicos) do leiaute do eSocial.

OUTUBRO

Neste mês, a seguinte obrigação será cumprida, se for o caso:

– CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA – RECOLHIMENTO TRIMESTRAL (trimestre civil compreendendo os meses de julho, agosto e setembro) – os contribuintes individuais, quando for o caso, e os segurados facultativos podem optar por efetuar o recolhimento trimestral da contribuição previdenciária. A opção é somente para os recolhimentos cujos salários de contribuição sejam iguais ao valor de 1 salário-mínimo.

A contribuição trimestral deve ser recolhida até o dia 15 do mês seguinte ao do encerramento de cada trimestre civil, prorrogando-se para o 1º dia útil subsequente, quando não houver expediente bancário no dia 15.

NOVEMBRO

  1. a) 1ª PARCELA DO 13º SALÁRIO – no dia 30 de novembro encerra-se o prazo para os empregadores efetuarem o pagamento da 1ª parcela do 13º Salário, uma vez que a legislação vigente determina que essa gratificação deve ser paga entre os meses de fevereiro e novembro de cada ano;
  2. b) ESOCIAL – os demais empregadores e contribuintes com faturamento anual menor ou igual a R$ 78 milhões em 2016 (2º Grupo) devem transmitir, a partir das 8 horas do dia 1-11-2018, as informações constantes dos eventos S-1200 a S-1300 (Eventos Periódicos compostos por informações da folha de pagamento) do leiaute do eSocial, referentes aos fatos ocorridos a partir dessa data;
  3. c) SALÁRIO-FAMÍLIA – para manutenção do pagamento do benefício do salário-família, o empregador deverá solicitar de seus empregados, no mês de novembro, o comprovante de frequência à escola, referente aos filhos e equiparados a partir de 7 anos completos de idade, e a caderneta de vacinação ou equivalente para os menores de 7 anos de idade, onde contemple as vacinas obrigatórias.

DEZEMBRO

  1. a) 2ª PARCELA DO 13º SALÁRIO – o pagamento da 2ª parcela do 13º Salário terá de ser efetuado até o dia 20 de dezembro de cada ano;
  2. b) CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DO 13º SALÁRIO – todos os empregadores, exceto os domésticos, devem recolher as contribuições relativas ao 13º salário até o dia 20 de dezembro. Se não houver expediente bancário neste dia, o recolhimento deve ser antecipado.

Fonte: COAD


Categorias: Artigos do Setor

Pagar hora extra pode ficar mais caro para as empresas neste ano


Uma mudança sinalizada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) no final de 2017 pode tornar o pagamento de horas extras mais caro para as empresas, aumentando a pressão pela adesão ao banco de horas. Quando um funcionário recebe horas extras habitualmente, ele também ganha a mais pelo descanso semanal aos domingos – se a jornada normalmente é de nove horas, por exemplo, o descanso deve valer nove horas, segundo a lei trabalhista atual.

Para cada hora extra trabalhada, portanto, o empregado tem direito a um descanso proporcional, o que gera um adicional todo mês. A Justiça, porém, não considerava esse adicional na base salarial usada para calcular férias, 13º salário, aviso prévio e outras verbas trabalhistas. Em dezembro, o entendimento mudou em uma comissão no tribunal e deve virar súmula (orientação com força de lei para os juízes).

“A mudança causa um aumento de despesa muito grande para as empresas. A partir de agora, elas vão precisar rever suas práticas de hora extra e usar mais o banco de horas”, diz Tricia Oliveira, sócia do Trench Rossi Watanabe. A orientação anterior era polêmica e gerava muitos recursos ao tribunal, diz Caroline Marchi, sócia do Machado Meyer. “Houve uma sinalização de que vai haver uma mudança, mas o texto ainda não foi alterado”, afirma.

A reforma trabalhista permite que o trabalhador firme um acordo individual com o empregador para aderir ao banco de horas, regime em que as horas excedentes são compensadas em outro dia.

A lei dita que a hora extra deve ser paga com adicional de 50%, o que vale para as horas “vencidas” no banco. No comércio paulista, a maioria das empresas já adota banco de horas, segundo Sarina Manata, assessora jurídica da Fecomercio-SP. “No final do ano, quando as lojas fecham mais tarde, o funcionário pode compensar tirando folga depois, durante a semana”, diz Sarina.

Para Yussif Ali Mere Jr., presidente da Fehoesp, de hospitais de São Paulo, a mudança na regra do TST vai na contramão do que estamos vivendo, que é a flexibilização das leis trabalhistas. “Já adotávamos o banco de horas em convenção coletiva, e agora queremos ampliar o seu uso”, afirma Mere Jr.

A farmacêutica Eurofarma vem tentando, em sua unidade em Itapevi (SP), negociar individualmente com os trabalhadores a adoção do banco de horas, proibida na convenção coletiva dos químicos. Para Elisângela Narvegan, assessora jurídica do Sindilojas, do setor de lojistas, a convenção coletiva se sobrepõe ao acordo individual quando trata de horas extras, mesmo com a reforma trabalhista.

“A nova lei deu poder ao acordo coletivo. Ele se sobrepõe à lei”, afirma. “A convenção dos lojistas já adota banco de horas e estabelece 120 dias para tirar o descanso.” “Banco de horas pode ser bom para quem trabalha domingos e feriados. Só não pode ser usado de uma maneira que fatigue o trabalhador”, diz Almir da Silva, presidente do SindSaúde ABC, dos trabalhadores de saúde.

No setor de restaurantes, o custo alto da hora extra deve levar empregadores a adotar outra novidade da reforma trabalhista, o trabalho intermitente, que é pago por hora. “O consumidor não aceita nenhum repasse de custo”, diz Paulo Solmucci, presidente da Abrasel, associação do setor. “Só pagávamos hora extra porque não havia uma lei permitindo intermitentes.”

Fonte: Jornal do Comércio


Categorias: Artigos do Setor

Contribuição sindical patronal – Minha empresa é obrigada a pagar em 2018?


Com a reforma trabalhista, existem muitos temas novos para as empresas tratarem e um deles é a contribuição sindical patronal.

Esse é mais um daqueles temas polêmicos que deverão ainda ter muita discussão devido o impacto que provoca no dia a dia.

Mas agora em janeiro de 2018, o que deve ser feito com a contribuição sindical patronal? Ela deve ser paga? Ela é obrigatória? O que devo saber sobre esse tema?

Acompanhe esse artigo para saber mais a respeito!
1. Sobre a obrigatoriedade da Contribuição Sindical Patronal

Temos na Constituição um grande marco para as questões sindicais no Brasil. Foi à partir dela em 1988 em que ficou determinado a livre atividade sindical em seu artigo 8º.

Apesar desta “liberdade”, ficou determinado que somente haveria um sindicato representativo para cada atividade econômica. Então, podemos dizer que essa liberdade nasceu manca, pois não há como participar de outro sindicato que não seja aquele que representa sua categoria.

Bem, na constituição também ficou determinado a fixação de contribuição para custeio do sistema sindical, e isso sempre foi obrigatório.

Mas com a aprovação da Lei 13.467/2017, houve uma mudança passando a contribuição sindical estar condicionada à autorização prévia e expressa de empresas e funcionários para se tornar obrigatória.

Então, se a empresa não for associada ao sindicato, e somente afiliada a ele devido a categoria econômica, para que seja obrigatório, é necessária a sua manifestação expressa concordando com a contribuição.

Veja os artigos abaixo da CLT reformada:

“Art. 578. As contribuições devidas aos sindicatos pelos participantes das categorias econômicas ou profissionais ou das profissões liberais representadas pelas referidas entidades serão, sob a denominação de contribuição sindical, pagas, recolhidas e aplicadas na forma estabelecida neste Capítulo, desde que prévia e expressamente autorizadas.” (NR)

“Art. 579. O desconto da contribuição sindical está condicionado à autorização prévia e expressa dos que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional, ou de uma profissão liberal, em favor do sindicato representativo da mesma categoria ou profissão ou, inexistindo este, na conformidade do disposto no art. 591 desta Consolidação.” (NR)
2. E se a contribuição estiver prevista na Convenção Coletiva, é obrigatório?

Mas mesmo tendo a necessidade de autorização prévia e expressa, sempre surge a dúvida… E se a contribuição sindical, ou mesmo as contribuições assistenciais e confederativas estiverem acordadas na convenção coletiva? Ela não serve como um acordo para fins do recolhimento.

Essa dúvida surge até porque a Reforma Trabalhista aprovou que o acordo se sobrepõe ao Legislado, não é mesmo?!

Mas o artigo 611-B da CLT determina que alguns itens são ilícitos de acordo coletivo, incluindo no inciso XXVI, a liberdade sindical e o direito de não sofrer a cobrança de contribuição sindical sem a expressa anuência, reforçando o que é estabelecido no artigo 579.

“Art. 611-B. Constituem objeto ilícito de convenção coletiva ou de acordo coletivo de trabalho, exclusivamente, a supressão ou a redução dos seguintes direitos:

XXVI – liberdade de associação profissional ou sindical do trabalhador, inclusive o direito de não sofrer, sem sua expressa e prévia anuência, qualquer cobrança ou desconto salarial estabelecidos em convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho;”

Portanto, não é obrigatório mais o pagamento das contribuições aos sindicatos.
3. O que é feito com o imposto sindical?

Um ponto sempre pouco discutido é o que é feito com essas contribuições sindicais. Saber sobre isso é importante até para que você possa decidir entre pagar ou não pagar a contribuição.

Bem, o valor pago é repassado aos sindicatos e toda a sua estrutura funcional como federações, confederações e centrais sindicais. Em tese esse valor é repassado aos sindicatos para que se faça a representação dos interesses de funcionários e empresas.

Como esse valor era obrigatório, existem muitos sindicatos pouco representativos ou que não cumprem essa função, somente de olho na contribuição.

Nós da Capital Social entendemos que o próprio efeito da reforma será a construção de uma estrutura sindical mais representativa, pois somente desta forma seria de imaginar o pagamento de uma contribuição.

Bem, é importante mencionar que 10% do valor vai para a Ministério do Trabalho financiar, entre outras coisas, o Fundo de Amparo ao Trabalhador.
4. Devo ou não pagar a contribuição sindical patronal? O que devo saber sobre isso.

A primeira coisa a saber é que a contribuição não é mais obrigatória sem seu consentimento expresso.

Isso lhe permite tomar uma decisão sobre o pagamento ou não da contribuição.

Antes, para se opor ao recolhimento era necessário encaminhar uma carta de oposição à sua cobrança. Com a nova legislação, entendemos que isso não é mais necessário, já que sem você se manifestar com o consentimento de pagar, você não poderá ser cobrado pelo Sindicato.

Como isso mexe demais com o funcionamento dos sindicatos, é necessário acompanhar as ações na justiça. Já existem várias Ações Diretas de Inconstitucionalidades (ADINs), inclusive de sindicatos patronais.

Além disso, já temos algumas ações judiciais nas primeiras esferas dando ganho de causa a sindicatos, como uma ação em Lajes SC. É necessário também aguardar outras ofensivas dos sindicatos como excluir funcionários de acordo coletivos como já ocorreu em GO.

Por isso, não deixe de acompanhar este tema junto com o seu contador!
Conclusão

Com a reforma trabalhista promovida em 2017, as contribuições sindicais deixam de ser obrigatórias e passam a necessidade da expressa anuência para recolhimento.

Isso atinge tanto a funcionários como a empresas com seus sindicatos patronais. Isso deve ocorrer mesmo nas situações previstas em convenções coletivas se a empresa não é associada ao Sindicato.

Isso permitirá ao longo do tempo que criemos uma estrutura sindical que realmente represente funcionários e empregadores, permitindo que a contribuição seja paga somente se você realmente estiver representado nos interesses.

Como é um tema que mexe muito com os Sindicatos é preciso ficar atento com o desenrolar deste tema, inclusive com ações judiciais que tendem a ser mais frequentes sobre isso.

Fonte: Capital Social

 


Categorias: Artigos do Setor

7 Sinais que você precisa contratar uma nova empresa de limpeza e conservação!


por Antonio Benediti

Você está demitido

Você sabe que é a hora de demitir a sua empresa de limpeza. Já esteve em sua lista de “tarefas” há alguns meses. A sua empresa de limpeza simplesmente não está funcionando, mas você quer saber, qual é a alternativa? As empresas de limpeza não são todas iguais? Há tantos e todos eles afirmam ser bons, como você realmente sabe? Você poderia encontrar uma empresa de limpeza que cumpre suas promessas, mais provavelmente você não poderia pagar? Errado.

Você absolutamente não precisa se contentar com um prestador, só porque está com o orçamento limitado.

___________________________________________

Quando o suficiente é suficiente

Como qualquer prestador que você trabalhe, você provavelmente terá problemas ocasionais que precisam ser resolvidos ou abordados, é apenas a natureza de trabalhar e se comunicar com outras pessoas e empresas. Mas quando é suficiente, o suficiente? Quais as consequências que você terá quando os problemas dos serviços de limpeza forem grandes, tão difundidos que a comunicação com você não será susceptível de resolver ou impossível de resolver?

___________________________________________

Nota: Sua reputação está na linha todos os dias e a limpeza de suas instalações reflete isso. É fácil olhar ao redor e ver se a sua empresa de limpeza atual pode fazer alguma melhoria.

___________________________________________

Aqui estão 7 sinais de que a sua empresa de limpeza já não está fazendo você uma prioridade

  1. Seu Pessoal está reclamando mais do que o normal.

Você espera que sua equipe de limpeza facilite seu trabalho. Algumas chamadas ou e-mails são esperados, mas, em geral você não deve ser incomodado por problemas de limpeza. Se você estiver ouvindo esses tipos de comentários: “Continuamos ficando sem papel higiênico no banheiro feminino”, ou “Minha lixeira não e esvaziado diariamente”, pode ser um sinal de que sua atual empresa de limpeza já não está dedicada.

  1. Eles usam equipamentos quebrados ou em condições precárias

A sua equipe de limpeza está usando equipamentos desgastados ou quebrados? O cabo do aspirador tem uma fita elétrica segurando-o? Se o seu equipamento é antigo e desgastado, isso é um sinal de que o contratante não está mais investindo em sua empresa.

  1. Os pisos sujos e molhados não são apenas uma monstruosidade, são perigosos

Os pisos que estão molhados ou sujos com áreas inacabadas falam muito sobre a sua empresa e com certeza não estão dizendo coisas boas. Não permita que a sua empresa de limpeza O COLOQUE em risco para um problema potencial com um deslizamento e queda.

  1. Seu prestador cria Risco & Responsabilidade desnecessários

Nada é mais importante que proteger a segurança dos ocupantes do seu prédio de riscos e responsabilidades desnecessárias. Não deixe a sua empresa de limpeza usar a contratação ilegal ou a subcontratação sob seu nariz. Só porque você não sabe sobre isso não significa que você não vai sentir o peso das suas consequências. Da mesma forma, você deve confirmar que a sua atual  empresa de limpeza está rastreando seus funcionários, a cada momento. Isso significa verificações de antecedentes criminais, triagem de drogas, verificação de emprego e verificações de referência, no mínimo.

  1. Quando o seu prestador de limpeza deixa de responder as suas solicitações

Como dissemos, erros podem acontecer, podem surgir problemas. Certeza se é com alguma regularidade, algo está errado, mas tão importante quanto não cometer erros regulares é quando a sua empresa de limpeza responde imediatamente na solução do problema. Se a sua empresa de limpeza não responde imediatamente aos problemas, há um problema. Se eles disserem que “vamos cuidar disso”, mas nunca o fazem, você tem um problema. Se ele não possui um sistema formal para lidar com queixas e problemas, você tem um problema. Sua empresa de limpeza deve receber o problema e devem começar imediatamente a solução do mesmo, e então eles devem verificar com você para ter certeza que o problema foi corrigido. Se você não está recebendo esse tipo de capacidade de resposta e hora de estudar a contratação de uma nova empresa de limpeza.

  1. Seu contato principal muda frequentemente?

Provavelmente o maior sinal de problemas com uma a sua empresa de limpeza a é o volume de negócios constante em seus cargos de nível de supervisão. Se o seu ponto de contato está mudando constantemente, os problemas podem estar à sua frente. O volume de trocas nestas posições é um indicador de que a cultura de seu prestador é insalubre.

  1. Você estar trabalhando com um profissional verdadeiro?

O profissionalismo é primordial em todas as industrias e prestadores de serviços. O prestador deve operar com os sistema e processos de uma empresa verdadeiramente profissional. Isso significa ótimas pessoas, treinamento e gerenciamento. Isso significa não deixa você e suas instalações abertas ao risco de segurança ou responsabilidade. Isso significa operar com consistência, confiabilidade e comunicação regularmente. Uma maneira de confirmar uma linha de base mais o nível de profissionalismo é usar as certificações da indústria, como o CIMS, Certified Industry Management System para eliminar empresas de limpeza que simplesmente não estão comprometidas com a melhoria continua.

___________________________________________

Quando muitos erros do seu prestador tornam claro, é hora de mudar.
Os erros acontecem, mas quando o mau serviço está se tornando a norma, é hora de rescindir com a sua prestadora. Você, sua instalação e os ocupantes do seu edifício merecem melhor. Você merece obter o seu valor de limpeza sem ter uma caixa de entrada de e-mail cheia de queixas.

 ___________________________________________

O desafio de encontrar uma empresa de limpeza com qualidade

Pode parecer às vezes que todos os serviços de limpeza são os mesmos, mas esse não é o caso. Há pelo menos algumas empresas de limpeza que contratam, criam, treinam e gerenciam pessoas muito bem. Existem prestadora que oferece capacidade de resposta em tempo real e um sistema cuidadosamente projetado para lidar com problemas e obter o tipo de serviços com os quais você ficará feliz. Existem  empresa de limpeza que realmente se preocupam com seus clientes e oferecem muito mais do que promessa vazias.

Então como procurar boas empresa de limpeza? Fale com outros gerentes de manutenção. As referencias geralmente são uma ótima fonte de informações.  Peça aos potenciais prestadores para informar sobre a sua estrutura de preços e o processo de qualidade. É fácil dizer “sim, nós temos isso”, então peça para vê-lo e ligue para os principais clientes da prestadora.

___________________________________________

Na Equippe Serviços, temos uma boa equipe gerencial, uma organização solida dedicada aos nossos funcionários e clientes, entusiasmo e compromisso com um serviço excepcional, preços com planilhas aberta que ajudam nossos clientes a determinar o valor do contrato. Da mesma forma estamos certificados pela ISSA CIMS, indicando nosso compromisso com os mais altos padrões de serviços.

___________________________________________


Categorias: Noticias

AUMENTO NOS CONTRATOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO CONFORME CONVENÇÃO COLETIVA DA CATEGORIA 2018


INFORMATIVO: AUMENTO NOS CONTRATOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO CONFORME CONVENÇÃO COLETIVA DA CATEGORIA 2018

Comunicamos que a SIEMACO E O SEAC-SP – sindicato das Empresas de Asseio e Conservação, firmaram entre si, Convenção Coletiva de Trabalho para o ano de 2018, com data de validade a partir de 01/janeiro/2018.

 . Principais Itens Negociados:

·         Piso Salarial Mínimo de R$ 1.110,70 ( Aumento  3%)

·         Para os demais salários o mesmo Reajuste Salarial de 3% ·

Benefícios Novos Valores:                  

Assistência Social R$ 9,33

Natalidade: R$ 3,75

PPR R$ 258,57

Cesta Básica R$ 102,58

Vale Refeição R$ 14,72

A Equippe Serviços, como todos os anos, estará à disposição para qualquer esclarecimento sobre este assunto. 

Abaixo segue o link do SEAC-SP para o comunicado oficial.

http://www.siemaco.com.br/upload/convencao/img1-Comunicado-Conjunto-SIEMACO-x-SEAC-2018–7046.pdf


Categorias: Noticias

Tags: , , , , , ,

eBOOK – Cuidados ao Contratar Serviços Profissionais de Limpeza


Sendo a parceria comercial um elemento essencial, a necessidade de contratar empresas idônea para a Prestação de Serviços de Limpeza é fundamental, evitando, principalmente, os riscos de naturezas trabalhista.

A Equippe Serviços criou o eBook chamado “CUIDADOS ESSENCIAIS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE LIMPEZA” onde mostra quais são os cuidados essenciais para se realizar uma otima contratação de uma empresa de limpeza, como também algumas dicas de como gerenciar a Terceirizada após a contratação.

Click no link AQUI é GRATÍS e faça o download do eBook

Boa Leitura!

Equippe Serviços
Empresa de Limpeza e Conservação


Categorias: Ebook

eBook Gratuito: 25 Frases Inspiradoras Para Melhorar Seu Dia


 

eBook: 25 Frases Para Inspirar Você No Trabalho

As palavras tem o poder de curar ou destruir. Quando as palavras são verdadeiras e generosas, elas podem mudar nosso mundo. Seja você um empreendedor ou não, muitas vezes recorremos a pensamentos e frases inspiradoras para nos guiar no nosso dia-a-dia e na luta pela nossa missão de vida, nossos maiores objetivos. Com o objetivo de inspirar você no trabalho, A Equippe Serviços, acaba de compartilhar  o eBook abaixo”. O material, que é gratuito, está disponível  para download click no link abaixo e receba através do email informado.
Clique Aqui e faça o Download do Material

Categorias: Ebook

Tags: , , , ,